terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Madonna desceu do trono no Super Bowl e não foi por causa do playback



Eu gosto da Madonna e admiro muito a forma como a mente dela funciona. Poucas pessoas conseguem quebrar moldes e viver além de expectativas como ela faz e a influência que ela exerce na cultura pop é absurda. O que era cabala, yôga e corpete antes dela? O que?

Essa influência toda perde força quando a “Material Girl” tenta chamar atenção para criancinhas famintas na África, paz e injustiças políticas. Ninguém quer ouvi-la falando sobre coisas sérias. Madonna é para entretenimento, todo mundo quer compor seus looks, quer vê-la pervertendo princesinhas do pop, se contorcendo aos 50 e poucos anos de vida e pegando nas partes íntimas diante de milhares de pessoas. Isso não só é mais divertido como também é mais fácil de replicar, olhar para o caos do mundo dá muito trabalho, é preciso amor e amor não se replica, cultiva.

Domingo a Madonna fez uma mega apresentação no Super Bowl, onde não só colocou todo mundo para dançar como no fim do show aproveitou a exposição do evento às famílias americanas e pediu por PAZ MUNDIAL. Ironicamente, seu irmão, Anthony Ciccone, que é alcoólatra, morador de rua e renegado pela familia,  estava no Lucas Oil Stadium assistindo a irmã agitando, como se não houvesse amanhã,  com os dançarinos e o Cirque du Solil inteiro.  (clique aqui para saber como o Anthony foi parar lá)

Julgamentos á parte, porque só a família Ciccone sabe o que se passou e ninguém tem nada a ver com isso, mas a filosofia fica no ar pra quem quiser brisar com ela. Durante aqueles 12 intensos minutos a Rainha do Pop não só entreteu o país como também desceu do trono e se colocou no mesmo nível de resistência que os pobres mortais que ela incentiva a mudar de postura, em que falar é fácil e difícil é dar exemplo. #worldpeace

0 comentários:

Compartilhe

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More